Muçulmano é homenageado por evitar briga de adolescentes

muçulmano
Créditos: Press Atlantic City (courtesy)

Um jovem muçulmano americano e negro se destaca nas redes sociais por ser homenageado após, não apenas separar alguns colegiais que estavam brigando, mas também pela lição de fraternidade e de respeito que acaba passando em seu flagrante discurso.

O cenário é a McKinley Avenue, Atlantic City, New Jersey (EUA). Dois adolescentes negros estão trocando socos em meio a um grupo de outros adolescentes. Todos em volta riem e fazem como as tribos escolares que incentivam a violência. Além disso, todos filmam a cena em seus smartphones e nenhum deles intervém.

Então, o afro-americano Ibn Ali Miller, muçulmano de 26 anos de idade, e também natural do estado veio na direção dos adolescentes que estavam brigando e se pondo entre os dois disse apontando para os que estavam em volta: “Todos vocês em seus celulares: vocês são os verdadeiros covardes”, disparou.

O que veio a seguir foi exatamente um show de como o diálogo, a compreensão e a tolerância podem mudar automaticamente uma situação que parecia perdida. Miller, continuou perguntando aos dois rapazes que estavam brigando quem havia tentado separa-los e apontava.

“Isso não é legal”, começa Miller, “Veja: ela está sorrindo. Eles estão sorrindo”, e enquanto mostra outro jovem ele elucida, “Olha, esse cara que deveria ser seu parceiro está com um sorriso enorme que nem consegue esconder”.

A intervenção do jovem muçulmano se tornou um viral desde que o video foi publicado na segunda-feira, 20 de março, e as raízes dessa boa influência vão ganhando terreno por todos os cantos do mundo. “Você são todos homens, não são? 14, 15, 16, 17 anos… Vocês são homens. Então, comportem-se como tal”, aconselhou.

“É triste dizer, mas não é a primeira luta que eu separo e provavelmente não será a última”, disse Miller na noite de terça-feira em entrevista a um jornal local. E garantiu que não é uma coisa de momento: “Você não pode escolher ‘hoje, eu vou evitar que algumas crianças de briguem’, mas Deus que faz a vontade dele”, explicou.

Após viralizar, o video recebeu apoio de vários famosos pelas mídias sociais, como a estrela de basquete LeBron James e até o rapper Snoop Dogg. O Conselho Municipal de New Jersey homenageou o jovem muçulmano durante reunião na noite de quarta-feira.

Na cerimônia agradeceu a mãe e revelou: “Quando eu era jovem, cresci em casas populares. E quando me punia ela [minha mãe] me fez ler livros”.

O video que em poucas horas chegou a ter mais de 600 mil visualizações e que hoje ultrapassa as dezenas de milhões de visualizações e compartilhamentos, termina com Ali fazendo os adolescentes apertarem as mãos.

Começar o título da matéria da maneira que aconteceu não foi a toa. A intenção era demonstrar o quanto um rótulo pode mudar nossos conceitos, criando preconceitos. Ali Ibn Miller é notícia por ser um herói do cotidiano. Um homem que contrasta com uma América liderada por um presidente montado numa política separatista recheada de retórica racista e xenófobo.

Miller é negro, muçulmano, um pacifista e um exemplo de que não há motivos para estarmos presos aos estereótipos. Na simplicidade de seu ato e discurso, Miller é um suspiro de humanidade e diversidade em um Estados Unidos cada vez mais inacreditável.

Veja o vídeo abaixo: