Suspeitos de espancar morador de rua em Porto Alegre podem ser da Assembléia de Deus

Crédito: Reprodução Facebook

Hoje, 5 de janeiro, um vídeo postado pela página Poa4hs causou revolta nas redes sociais. A página noticia ocorrências de Porto Alegre e da região metropolitana. Os 37 segundos de vídeo já foram assistidos mais de 1,2 milhão de vezes e compartilhados masi de 31 mil vezes em cinco horas. Nas imagens registradas, pode-se ver um morador de rua sendo espancado por três seguranças em frente ao Mercado Zaffari, da avenida Cristóvão Colombo. Os três batem no homem com cassetetes até ele se levantar e sair dali.

A princípio, noticiou-se que os seguranças eram funcionários do mercado, mas o responsável pela segurança do estabelecimento, Rafael Coutinho Borges, foi às redes sociais esclarecer a história. De acordo com ele, os seguranças são empregados da Igreja Assembléia de Deus, que se encontra na rua General Neto. Borges também diz que ele prestou socorros ao morador de rua.

Ele também afirma que o morador de rua tinha passagem pela polícia, mas isso não justifica a agressão que o homem sofreu. É revoltante ver uma pessoa em situação de necessidade ser espancada por quem acha que deve fazer justiça com as próprias mãos.

A rede de supermercados Zaffari também divulgou uma nota sobre o caso:

“O Grupo Zaffari ressalta que repudia qualquer ato de violência e informa que as pessoas envolvidas no episódio de agressão não são funcionárias da empresa, nem contratadas de suas prestadoras de serviço terceirizadas. A administração da empresa informa também que após o ocorrido, a equipe da loja Zaffari Cristóvão prestou auxílio ao morador de rua, e entrou em contato com a Brigada Militar para comunicar a ocorrência. O Grupo Zaffari está à disposição das autoridades para auxiliar no caso”.

Todas as informações do ocorrido estão sendo apuradas e divulgadas pelo Poa24hs. Eles alegam que já têm os nomes dos três seguranças da Igreja que agrediram o rapaz, mas estão aguardando o parecer da Polícia Civil para poderem divulgar.

Os comentários na página mostram como as pessoas estão indignadas perante tamanha violência e abuso de poder. Muitos dizem que conhecem o morador de rua e que ele é pacífico. E mesmo que não fosse… Ninguém pode agredir o outro dessa forma e sair impune.