Miss Canadá é chamada de gorda e responde aos comentários

Crédito: Divulgação

O concurso de Miss Universo aconteceu no domingo, 29 de janeiro, e deu o que falar. Além do Brasil ter classificado a primeira mulher negra em mais de 30 anos, também foi o ano em que as pessoas viram o absurdo da padronização do corpo feminino. A Miss Canadá foi chamada por diversos veículos midiáticos de “cheia” e “gorda”. E ela respondeu à altura.

Siera Bearchell tem apenas 23 anos e foi a escolhida para representar o Canadá no concurso de beleza feminina. Todas as mulheres que concorrem são bem padronizadas: magras, altas, vaidosas. E Siera não é um ponto fora da curva, porém sua figura, ainda que magra, é mais encorpada do que a das outras participantes, e isso fez com que ela fosse chamada dos mais diversos nomes.

Quando um repórter perguntou à ela como ela se sentia em ser uma competidora tão mais “cheia” que as outras, ela respondeu do melhor modo possível. “Minha resposta é que eu me sinto ótima”.

Em outra entrevista, Siera afirmou: “Essa competição é mais do que nossas aparências. É sobre ser confortável com quem você é, é sobre compartilhar uma mensagem que é importante para você”.

Crédito: Divulgação
Crédito: Divulgação
Crédito: Divulgação
Crédito: Divulgação

Dizer que a modelo sofreu gordofobia é injustiça com pessoas realmente gordas e que lidam com preconceito todos os dias por causa de seus corpos. Mas a Miss Canadá foi sim vítima de um modelo irreal do corpo feminino. As mulheres comuns, do dia a dia, não têm corpos de misses. Inclusive, as críticas ao corpo de Sierra só deixaram claro como para ser uma miss e ser vista como um modelo de beleza é preciso ter um corpo irreal e inalcançável para a maioria das mulheres.

A Miss Canadá não é gorda. O fato dela ter mais curvas que as outras mulheres da competição não a faz gorda. E ela estar competindo é um importante modo de ver que há, sim, mulheres belíssimas que não seguem os padrões de beleza irreais de concursos de misses. Mais importante ainda seria ter uma mulher realmente gorda na competição. Porque a beleza não vê peso. E a saúde também não.

Para tentar alcançar os corpos que a sociedade nos coloca como modelo, milhões de mulheres no mundo todo fazem dietas malucas e desenvolvem transtornos alimentares, como a bulimia e a anorexia. Falar que a Miss Canadá é gorda não é negativo apenas para ela, mas também para todas as mulheres comuns que assistem ao programa, assimilam “ser gorda” como algo negativo e pensam “se ela é gorda, eu sou o que?”.

É preciso desconstruir a ideia de que beleza está ligada a magreza extrema. É preciso desconstruir a ideia de que ser gorda é algo ruim e, principalmente, de que pessoas como a Miss Canadá deveriam se encaixar na categoria “plus size”. Não deviam.

Com esse episódio do Miss Universo, muitas pessoas perceberam o absurdo que os padrões de beleza feminina se tornaram. E, nas redes sociais, há diversas reclamações quanto à afirmação de diversos repórteres sobre a suposta gordura de Siera Bearchell.