Ministro indiano diz: roupas ocidentais incitam o estupro

Crédito: http://www.udayavani.com
Crédito: http://www.udayavani.com

É de conhecimento que o machismo não é uma prioridade do Brasil. Muitos países conseguem ser muito mais intolerantes que o nosso. G. Parameshwara, um ministro indiano, disse em um programa de TV que estupros, abusos e agressões sexuais realizadas por um grupo em uma celebração de Ano Novo — vejam só — era culpa das mulheres, pois se vestiram “como ocidentais”. Logicamente, ele foi fortemente criticado após a declaração.

A polícia ainda não conseguiu chegar a nenhum suspeito de ter cometido a onda de episódios de violência sexual da noite de sábado, 31 de dezembro, em Bangalore. Os meios de comunicação locais publicaram testemunhos e fotos de vítimas fugindo dos criminosos e buscando refúgio em locais aparentemente seguros. As forças de segurança ainda analisam as imagens de câmeras de vigilância para tentar identificar os acusados.

No entanto, o ministro indiano responsável pelo policiamento do estado de Karnataka, que tem Bangalore como maior cidade, disse que a infelicidade por trás dos ataques se deu por uma consequência provocada pelas roupas ocidentais que as mulheres usavam.

“Um grande número de jovens se reuniram — jovens que são quase como ocidentais — Elas tentam copiar os ocidentais não só na mentalidade, mas até mesmo nas roupas, então alguns distúrbios, algumas meninas assediadas, esse tipo de coisas acontecem.” disse em inglês fluente, o ministro indiano, Parameshwara, à rede de televisão The Times Now.

Ele declarou mais tarde que foi citado incorretamente, pois, logicamente, culpar as mulheres por terem sido agredidas sexualmente lhe rendeu muitas críticas e censura, condenando-o por seus comentários.

Outro ministro indiano, mas do governo central, Kiren Rijiju, descreveu as declarações de seu colega como “irresponsáveis”.

“Não podemos permitir que o ato vergonhoso de #MolestaçãoemMassa fique impune”, disse no Twitter, e acrescentou que a segurança das mulheres é uma “obrigação em uma sociedade civilizada”.

A chefe da Comissão Nacional para Mulheres da Índia, Lalitha Kumaramangalam, exigiu a renuncia de Parameshwara devido aos seus comentários e disparou contra o comportamento masculino que o ministro indiano supostamente defendera.

“Quero perguntar a este ministro: os homens indianos são tão patéticos e fracos que quando veem uma mulher com roupas ocidentais em um dia de folia ficam fora de controle? Quando os homens indianos aprenderão a respeitar as mulheres? O ministro deve pedir desculpas às mulheres do país e renunciar”, argumentou Lalitha.