LEGO constrói ‘nova visão’ aos deficientes visuais

Crédito: Pixabay

O LEGO é um do brinquedos mais populares no mundo todo. A marca, que traz blocos de montar, é famosa e reconhecida nos quatro cantos. Desejados por incontáveis crianças de diversas etnias, os tijolinhos de plástico além de divertir, auxilia no aprendizado no aprendizado e graças ao programa internacional “ZOOM Education For Life”, o apoio vai bem mais além: foca no desenvolvimento de consciência e espaço.

Então, o estudante norte-americano, Matthew Shifrin, decidiu criar com o LEGO, uma maneira para auxiliar deficientes visuais, assim como ele.

Matthew queria além de proporcionar a acessibilidade para que o cego também pudesse se divertir com o brinquedo, permitir a compreensão melhor do mundo que existe em volta do deficiente visual.

Tudo começou quando sua amiga Lilya Finkel o presenteou com o “Kit LEGO Príncipe da Pérsia: Batalha de Alamut” em seu aniversário de 13 anos. O brinquedo continha nada menos que 821 peças.

O estudante imaginou que não conseguiria monta-lo, porque as instruções do jogo são feitas para pessoas que não possuem deficiências visuais.

Lilya, havia preparado uma surpresa maior: escreveu as instruções passo a passo, descrevendo cada modelo e nomeando cada peça LEGO.

E foi além, definindo sequências específicas para que uma pessoa cega pudesse seguir. Lilya classificou as peças, separando-as em sacos plásticos, as dividiu por etapas e pôs rotulas em Braille.

Shifrin conseguiu completar o LEGO, seguindo os passos criados pela amiga, e resolveu iniciar um projeto online em que compartilha as instruções de como fazer a montagem dos blocos.

“Eu sabia que era um pouco velho para montar o LEGO. Eu tinha treze anos e a maioria dos meus amigos tinha parado de construir com o brinquedo aos nove ou dez. Mas eu não me importei. O LEGO é um excelente esforço cerebral. É uma ótima maneira de melhorar a consciência e o raciocínio espacial – áreas onde pessoas cegas às vezes têm problemas”, descreve o estudante, falando como o LEGO pode ajudar essas pessoas.

O projeto LEGO for the Blind funciona com a ajuda de um parente/professor/amigo. Esta pessoa deve ter acesso às instruções e verificar os blocos para o construtor cego. As instruções gráficas podem ser baixadas no site do estudante.

“O LEGO me permite ver coisas que são impossíveis de explorar, como os arcos de um palácio do Oriente Médio ou as torres em Londres. Eu gostaria que todas as pessoas cegas fossem capazes de baixar as instruções, comprar um kit, ter a ajuda de alguém para poder ter essa experiência. Quero que cada pessoa sinta que uma vez o que era impossível, agora é possível.”

cérebro de um deficiente visual é capaz de ‘redirecionar’ o córtex visual de outras maneiras. Essas pessoas não podem ‘ver’ no sentido literal da palavra, mas podem obter novas informações através de brincadeiras e ao estimular essa região.

O video documentário realizado pelo canal do YouTube Brain Craft para auxiliar o projeto de Matthew, explica que cérebro de um deficiente visual é capaz de “redirecionar” o córtex visual de modo diferente de uma pessoa que não é cega. O ato de “ver” ocorre, mas não no sentido literal da palavra. Ou seja, o cérebro ontem novas informações através de brincadeiras e ao estimular essa região.

Assista ao vídeo: