Campanha de entidade espanhola para dar visibilidade a crianças trans é censurada

Crédito: Crysallis

Uma campanha lançada na semana passada na Espanha pela Crysallis Euskal Herria (associação de apoio aos familiares de menores transexuais), que convidava a sociedade conhecer melhor a realidade de meninos e meninas transexuais, gerou polêmica entre moradores locais e internautas e teve até uma das imagens emblemas censurada pelo Facebook.

Com o tema “Hay niñas com pene y niños com vulva” (Há meninas com pênis e meninos com vagina), a campanha era composta também por cartazes com ilustrações de crianças nuas sorrindo, que foram espalhados pela rede de transporte e pela internet.

Para o Facebook, no entanto, a aparição dos genitais era incompatível com as normas da rede social, conforme informou a associação. Com o objetivo de evitar polêmicas, a entidade sem fim lucrativos adaptou a imagem exibida na rede, ocultando os genitais.

Na página oficial, a associação esclarece que o objetivo da campanha é despertar as pessoas para o fato de que a compreensão da realidade dos transexuais é um meio de garantir a qualidade de vida e felicidade dessas pessoas.

Para a Crysallis, “a transexualidade é uma condição na qual o sexo de uma pessoa (o sexo com o qual se identifica) não corresponde com o que se registrou ao nascer em razão de seus genitais”, portanto, isso deve ser respeitado como um “feito a mais de diversidade”.

A entidade chama a atenção para o fato de que estudos recentes demonstram que a taxa de intenção de suicídios entre adultos transexuais que tiveram a identidade negada durante a infância é consideravelmente superior à média da taxa dos demais, enquanto aqueles que foram apoiados tiveram indicadores de qualidade de vida e felicidade similares ao restante da população.