Busca no Google pela palavra ‘enteadas’ revela machismo

Créditos: Sinisha Karich/Shutterstock

Nesta semana alguns posts têm circulado no Facebook orientando as pessoas a buscarem a palavra “enteadas” no Google. Fizemos o teste e o resultado é revoltante. A primeira página de busca está repleta de conteúdos relacionados a pornografia com histórias e vídeos de padrastos que abusam de suas enteadas.  

Buscamos por “enteados” para ver o que acontece e o resultado é completamente diferente. Encontramos definição e significado para a palavra e conselhos familiares para que a relação com o enteado seja cada vez melhor.

Esse pequeno teste nos mostra uma diferença crucial no tratamento que é dado às meninas e meninos, mulheres e homens. Sempre quando vemos notícias em que o padrasto abusa e mata a enteada há uma comoção popular. Ao que parece a comoção ocorre apenas quando há morte violenta, porque o abuso tem sido normalizado.

O movimento feminista tem denunciado essa situação há tempo. Os casos de estupro, em sua maioria, ocorrem dentro de casa. Por isso, nem sempre as vítimas denunciam, o que interfere nos dados captados pelos órgãos do governo. Aliás, os agressores se valem dessa relação de parentesco para garantir o silêncio.

Vou soar repetitiva, mas é importante que entendamos que o estuprador mora no quarto ao lado e não se parece com um monstro. E mais, que as relações de abuso sexual são comercializadas. Ou seja, não é apenas um grupo pequeno de homens que possuem um desvio de caráter ou psíquico que abusam de suas enteadas. Mas toda uma sociedade que consome esse tipo de conteúdo revelando como a violência sexual é lucrativa.

Se você ainda tem dúvidas do porquê o Feminismo é necessário em nossa sociedade, espero que essa simples busca revele o porquê. Talvez você nunca passe por uma situação parecida, mas não te assusta que diariamente meninas vivem esse pesadelo em silêncio?